Cervejas Especiais.

Já faz algum tempo que as cervejas especiais e/ou artesanais vêm tomando espaço no mercado. Mas o que são cervejas especiais? Nada mais do que cervejas feitas de puro malte, que não levam em sua composição cereais não maltados como milho e arroz.

Mas, vamos esclarecer algumas coisas:

Cerveja é feita com 4 ingredientes:

Água: dependendo do estilo da cerveja as características da água podem ser modificadas, portanto dizer que a cerveja do lugar tal é boa por causa da água é uma besteira, isto podia ser verdade anos atrás, hoje não.

 Malte: a cevada é umidecida e quando começa a germinação o processo é interrompido e secado, transformando a cevada em Malte. Existem diversos tipos de malte, que dependendo do seu uso vão dar cervejas bem diferentes. Um malte mais torrado vai dar origem a uma cerveja mais escura.

 Lúpulo: proveniente de uma planta parente da maconha, é responsável pelo amargor da cerveja, interfere também no sabor, dá um toque herbal. Também existem diversos tipos e cada um contribui a sua maneira para diferentes estilos de cerveja

Levedura: são fungos responsáveis por transformar o mosto (extrato de malte) em cerveja, produzindo álcool e CO2. Aqui também existem diversos tipos de levedura.

Usando estes 4 ingredientes seguimos a lei de pureza Alemã e apenas com estes quatro ingredientes podemos fazer diversos estilos de cerveja.

Porém, existem cervejas que levam outros ingredientes como as cervejas de trigo, as Witbier que levam temperos (coentro e casca de laranja normalmente), temos aqui no sudoeste cerveja com pinhão, enfim os cervejeiros dão asas à imaginação e colocam em suas garrafas ou barris as mais variadas combinações.

Mas, vamos ao que interessa. E no copo? Num bar de cervejas especiais qual devo pedir? Qual me agradará mais? Meu parceiro só toma IPA, o que é isso?

Então podemos dividir todos os estilos de cervejas em 3 grupos:

Lager: Cervejas fermentadas em temperaturas mais baixas. Na sua grande maioria são estilos de cervejas mais leves e claras, mas também temos dentro dessa família uma grande variedade de cores, aromas, potência de corpo e complexidade. Pilsen é o grande exemplo das lager.

Ales: Cervejas de alta fermentação. Geralmente possuem maior corpo e de paladar frutado. Mas os seus gostos e aromas são os mais variados. IPA é um exemplo.

Lambic: Cervejas de fermentação espontânea, bem menos comuns. De paladar bem distintas a sensação de bebê-las lembra em muito a de um vinho espumante. São originárias da região de Leembek na Bélgica.

Portanto, se você gosta de uma cerveja mais encorpadas, vai nas Ales, se gosta das mais leves aposte nas lagers.

O IBU que mede o amargor da cerveja também pode ajudar você a escolher seu estilo preferido, quanto maior mais amarga.

Mas e a IPA? IPA ou Indian Pale Ale é uma cerveja que originalmente era produzida com bastante lúpulo, ou seja bem amarga e mais alcoólica,  para aguentar as viagens até a Índia, já que o lúpulo e o álcool funcionam como conservantes naturais.

Patópolis, cerveja produzida em Pato Branco.

A Patópolis que produzo não se encaixaria em nenhum estilo, mas a tentativa é produzir uma cerveja que lembre uma Bohemian Pilsner, menos amarga, que agrada mais ao paladar dos brasileiros, porém com o dobro do amargor das cervejas comerciais.

Laur Vedana, Dentista, Amante da Gastronomia, à frente do Boccata Restaurante há 9 anos. Cervejeiro de Panela.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.