Da Série: Professoras/Empreendedoras/Cheias de Luz

A história de hoje fala sobre uma mulher que descobriu o dom de ser professora… inclusive com um detalhe a mais: ensinar para as pessoas uma nova língua! E, recentemente, ela recebeu o Prêmio Destaque Empresarial, realizado pela ACEPB (Associação Comercial e Empresarial de Pato Branco) como a professora de idiomas mais lembrada da cidade. Também pudera, ela é encantadora! E só de conversar um pouco com ela sobre sua vida e sobre o seu trabalho como professora de Inglês já dá vontade de ter aulas com ela.

A Lilian é filha de uma querida professora de Português que eu tive quando tinha 12 anos, a professora Frida, e a calma, a paciência e o amor pela educação com certeza vieram da mãe! No pouco tempo que conversei com ela já pude sentir o amor que ela tem pelo o que faz! E ela me disse: “Lu, eu amo dar aula! Quando entro nessa sala eu me transformo e me encontro! Eu nasci para isso!”

 

Eu fiquei encantada com a estante de “souvenirs” que ela tem na escola! A grande maioria dos alunos sempre traz uma lembrança de viagem para a “teacher”. E olha que para ser escolhida entre uma das pessoas a receber uma lembrança é porque ela é muito especial e inesquecível na vida de todos que tiveram o privilégio de conviver com ela.

Agora vou deixar ela falar um pouco sobre sua vida e sua história como professora, mas antes quero dizer como são interessantes os caminhos de Deus para nossa vida, como devemos estar atentos aos sinais e buscar nosso lugar no mundo, descobrir nossa missão… A Lilian, por exemplo, ama o que faz, mas não foi tão simples assim para descobrir o seu talento…

“Lilian Maria Merlin Kalinke, nasci em 26/09/1967 em Pato Branco, Paraná. Meus pais são Belmiro e Frida Merlin.

Sou casada com o contador Mauro Cesar Kalinke , há 29 anos, e temos dois filhos. Heloisa, que também é contadora e auditora da Electrolux em Estocolmo, na Suécia, e Matheus, estudante de direito, que no momento está fazendo intercâmbio pela faculdade em Lisboa, Portugal.

Com os filhos, o marido e os pets.

Sou professora de inglês há mais de 30 anos e empresária, proprietária da PBF Pato Branco há 29 anos.

Na nossa época de escola, não tínhamos a matéria de Inglês no ensino fundamental, antigo primário, então quando fui para a 5ª série, e comecei a ter aulas de inglês, levei um susto! E por incrível que pareça, na minha primeira prova de inglês da escola, fui muito mal. Minha mãe era professora de inglês no Estado e tentou me ajudar e ensinar, mas quando a gente é criança acha que os pais não sabem de nada, não ensinam como a professora. Então, depois de algumas tentativas, minha mãe, muito sábia, me disse: estão aí os livros, se vire. Hoje, aqui estou. Claro que mais tarde, lá pela oitava série, ela me matriculou num curso de inglês. Desde então nunca mais parei de estudar.

Em 1990, abrimos a franquia da PBF, que na época chamava PINK AND BLUE – FREEDOM, aqui em Pato Branco.

De lá para cá muita coisa mudou. Hoje com o auxílio da tecnologia, está muito mais fácil trabalhar com o ensino e aprendizado de idiomas. Uma das coisas que sempre comento com os alunos é que antes da internet, quando queríamos saber a letra das músicas em inglês, por exemplo, precisávamos ouvir muitas vezes para “tirar” a letra, o que diga-se de passagem ajudava muito nosso listening ( compreensão auditiva). Hoje, basta alguns cliques e pronto: letra e tradução na sua frente. Aplicativos, podcasts, séries de TV, tudo ajuda hoje.

Costumo dizer que  ensinar e aprender uma outra língua é pura emoção, então acho que nada substitui um bom professor, que ame o que faz. Os alunos precisam “sentir” no outro idioma, precisam saber a melhor maneira de expressar aquela emoção, aquele sentimento, aquela alegria, aquela dor, em inglês, e não apenas “traduzir”,ter consciência da  importância que o idioma tem e terá nas suas vidas. Hoje está muito mais fácil viajar, fazer intercâmbio, as oportunidades de trabalho fora do país, tudo exige que se fale outras línguas. A maior prova que tenho disso são meus filhos mesmo. O inglês sempre fez diferença na vida deles, abriu portas e oportunidades incríveis. Hoje eles já falam outros idiomas também, o que vai cada vez mais abrindo chances de trabalho, de conhecer outras culturas e pessoas de todos os lugares do mundo. Isso é fascinante.

Acho que um dos grandes desafios para mim é conciliar o ser professora com o ser empresária. Brinco que meu lugar é na sala de aula. Administrar a escola, professores, funcionários, só é possível porque conto com ajuda de uma equipe fantástica. Sou de “humanas”, não adianta. Minha sorte é ter o Mauro como companheiro, ele, totalmente de “exatas”, resolve as coisas mais chatinhas e me ajuda com ideias e sugestões administrativas.

Acho que sou muito privilegiada por trabalhar com o que gosto. Interagir com as pessoas, acompanhar o crescimento e o aprendizado dos alunos é muito bom. Além é claro, de me divertir. Adoro nossas festas de Halloween, de Cosplay (tipo fantasia), nossos concursos de soletração em inglês…acho importante esse contato com as festas e costumes dos outros países.

Ano passado fizemos na PBF uma feira internacional com os alunos. Eles tinham que pesquisar e apresentar sobre vários países de língua inglesa, foi muito bacana e enriquecedor. Essas atividades ajudam a manter a motivação deles. E tudo isso só é possível porque a equipe da PBF é muito comprometida. Sempre digo que “minhas meninas” são de ouro, dedicadas e fazem tudo com amor, o mais importante.

O melhor de ser professora? Sem sombra de dúvida, o carinho dos alunos e dos ex-alunos. É muito bom depois de anos de formados, receber a visita deles, ouvir as histórias de vida e principalmente da diferença que o aprendizado do idioma fez na vida deles. Tem como não se sentir realizada?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.