Irene e Caetano Tonial: o exemplo do amor incondicional!

Acredito que quando um casal assume o compromisso de ficar junto uma vida inteira, com o passar do tempo eles se tornam um só! Acredito também que de certa maneira os dois tem a mesma missão de vida, o mesmo propósito e isso faz com que eles permaneçam juntos e construam uma história que ficará refletida por anos e por gerações… Na semana que comemoramos o dia dos namorados eu busquei para vocês a história de um casal que pudesse inspirar os nossos casamentos, os nossos relacionamentos. Queria a história de um casal que estivesse junto há muito tempo e que os dois ainda estivessem aqui. Na hora lembrei desse casal: Dona Irene e Seu Caetano, foi assim que conheci eles, sendo chamados dessa maneira, e eles fizeram parte de uma linda fase da minha vida…

As estrelas da nossa história.

Quando entrei em contato com uma das noras do casal, minha amiga Mônica, ela me relatou que eles estavam bem, mas Seu Caetano agora passava por um momento delicado por causa o Alzheimer, mas que a Dona Irene estava cuidando dele como que cuida de um bebê. Nesse momento fiquei um pouco triste por ele, uma pessoa do bem… mas, logo lembrei da aceitação das nossas missões e foi assim que marcamos uma visita com a Dona Irene.

O casamento em 23/09/1953.

Ah querida Dona Irene, impossível conter as lágrimas durante nosso reencontro… eles me conheciam desde muito pequena, meus pais foram inquilinos deles durante anos… minha mãe com uma loja de roupas e meu pai com sua sapataria. Durante muito tempo a casa da Dona Irene foi nosso quintal e ali vivi muitos momentos felizes. A loja da minha ficava no térreo do prédio do Seu Tonial e eu e meu irmão brincávamos muito com o filho mais novo do casal, o Joceandro.

Férias em Balneário Camboriú.

A união das famílias Caramori e Tonial (pioneiros de Pato Branco) começou lá no Rio Grande do Sul, mas engana-se que pensa que foi através do Seu Caetano e da Dona Irene… antes deles outro casal se formava entre as duas famílias…

Os 15 anos da filha Rozane.

Dona Irene me contou que eles estudavam juntos no mesmo colégio porém o Seu Caetano era mais velho e estudava algumas séries para frente, até que o irmão da Dona Irene começou a namorar a irmã do seu Caetano  e foi nesse casamento que Irene e Caetano dançaram juntos pela primeira vez! Naquela época as festas de casamento aconteciam nas próprias casas, tudo era arrumado para dar espaço e transformar a sala num salão de baile, e ali as moças solteiras ficavam ansiosas para dançar com os rapazes já que um casamento reunia praticamente toda a cidade.

Com o filho caçula.

Era o mês de julho, Dona Irene completaria 15 anos em agosto daquele ano e a primeira dança com Seu Caetano se tornaria inesquecível! No domingo, logo após o casamento eles se encontraram novamente em outra festa, seu Caetano acompanhou Dona Irene até em casa, mas foi somente a companhia mesmo… Passou-se 1 ano até o próximo encontro, na mesma festa do ano anterior, namoraram 3 meses, mas virou em nada (palavras da Dona Irene rsrsrs).

Casamento do filho Délcio.

Dona Irene começou a namorar um outro rapaz e nessa mesma época a família Tonial entrou de sócia no moinho dos Caramori e Seu Caetano começou a trabalhar nesse moinho e ficava sempre muito próximo da Dona Irene e ele continuava a fazer parte dos pensamentos dela, ela sabia que ele também gostava dela mesmo sem dar demonstrações. Ela começou a repensar muito no namoro, pois se casasse com esse moço teria que ir morar ainda mais no interior do Rio Grande do Sul, e ela tinha outros sonhos para sua vida. Toda essa história se passou em Cacique Doble, cidade próxima à Lagoa Vermelha.

O Moinho da família em Cacique Doble – RS. (tempos atuais)

Dona Irene desistiu do casamento com o rapaz e ficou sozinha… Passando mais um tempo na mesma época da primeira dança, 2 anos depois, no mesmo mês eles se reencontraram,  começaram a namorar e depois de um ano e meio se casaram. Logo depois, a irmã mais nova da Dona Irene começou a namorar o irmão do Seu Caetano e deu casamento também, e por pouco quase que sai o quarto casamento nessa família! Lá em Cacique Doble eles tiveram o primeiro filho, Joacir.

Visita à terra Natal, a árvore de platano, lugar onde Dona Irene lavava roupas com sua família.

Foi nessa época que muitas pessoas vieram do Rio Grande do Sul e Santa Catarina para então povoar Pato Branco, primeiro veio o irmão da Dona Irene e a cunhada, logo Dona Irene e Seu Caetano também chegaram por aqui e montaram um pequeno mercado na rua Tapajós. Ela me contou que abriram esse mercadinho no meio de dois grandes concorrentes da época e que o trabalho era árduo!

O dia que seu Caetano relembrou os tempos de moinho.

E então resolveram comprar um terreno em outro lugar e sair da vista dos concorrentes. Se mudaram para a Avenida Tupi, onde moram até hoje. Ali fizeram outro mercado na frente da casa onde moravam, depois tiveram uma loja de confecções e durante muitos anos foram grandes comerciantes de Pato Branco. Fizeram uma grande família, em Pato Branco tiveram mais 5 filhos: depois do Joacir vieram o Délcio, o José Carlos, o Valcir, a Rozane e o Joceandro (entre a Rozane e o Joce, o caçula, tem 15 anos de diferença). São 11 netos e 6 bisnetos! Uma família que sempre trabalhou muito pelo crescimento da nossa cidade!

A casa da Dona Irene sempre foi aquela casa de mãezona, de vovózona, lembro que minha infância foi perfumada pelas comidas deliciosas que ela preparava em sua cozinha, sempre calma, alegre e cheia de fé! Seu Caetano também, sempre do seu jeitinho doce, tranquilo, sereno. Sempre trabalhando e criando os filhos da maneira antiga, ensinando os valores fundamentais, que é através de muito trabalho honesto que se consegue as coisas.

Nesse momento em que a saúde do Seu Caetano está tá frágil, Dona Irene cuida dele como quem cuida de um bebê, com amor, carinho, atenção e muita paciência. Perguntei a ela qual era o pilar mais importante do seu casamento, para durar tanto tempo com tanto amor, carinho e respeito. Ela me disse que um dos ingredientes principais é a paciência, mas que também para um relacionamento prosperar a mulher tem que sempre apoiar e encorajar o marido nas suas escolhas, nas suas ideias e iniciativas. Sempre que Seu Caetano tinha um negócio em mente era ela que o incentivava a fazer aquilo acontecer, para que ele não tivesse medo e que soubesse que ela sempre estaria ali para apoia-lo.

Caetano Eulivio Tonial nasceu em 07/08/1931. Irene Caramori Tonial nasceu em 07/08/1936. Se casaram em 23/09/1953. Eu sempre vou levar na minha lembrança a cena mais linda dos dois: sempre caminhando de mãos dadas.

“A vocês, devemos tudo aquilo que somos hoje. Agradecemos de coração pelo exemplo de dedicação, criando 6 filhos com valores como o amor, a honestidade, o caráter… Enfim, nossos exemplos para a vida. Sempre foram nossos grandes amigos, exugando nossas lágrimas, corrigindo nossos erros, nos levantando de cada tombo, nos aconselhando… Hoje somos uma família unida e devemos tudo isso a vocês e ao incondicional amor que nos envolve.” Depoimento do filhos.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.