Veganismo: conheça um pouco mais sobre esse estilo de vida!

Hoje trago para vocês uma matéria que tem o objetivo de trazer informações sobre o estilo de vida de um vegano e sobre o que é o Veganismo. Aqui não temos a intenção de fazer apologia a um estilo de vida ou outro, e nem de julgar o estilo de vida de cada um, porém hoje ouvimos muito sobre esse termo e cada vez mais pessoas estão aderindo a esse estilo de vida. A minha amiga Amorina Amorim que já é vegana há alguns anos trouxe algumas informações sobre o tema e também fala um pouco da sua experiência pessoal. Espero que gostem!

“Veganismo é um termo que estamos ouvindo cada dia mais no nosso cotidiano, anda muito em alta e é até mesmo considerado uma tendência de mercado e comportamento.

Mas o que ele de fato significa?

Primeiro precisamos diferenciar o vegetarianismo do veganismo. Vegetarianismo é quando uma pessoa decide não se alimentar mais de carne de animal. Veganismo é um estilo de vida completo. Muito mais abrangente que o vegetarianismo, ele engloba não só a consciência alimentar mas também de comportamento.

Além da alimentação vegana não conter nada de origem animal, carnes, laticínios, ovos e mel, também se evita o uso de qualquer outro produto de origem animal ou testado em animais. Isso vale para vestuário, acessórios, produtos de higiene, maquiagem etc. O interesse da população por uma nova maneira de consumo só tende a crescer e isso impulsiona as indústrias a investirem em novas tecnologias e a produzir itens cada vez mais conscientes e sustentáveis.

Um exemplo bem prático é que, graças a “pressão” da população, milhares marcas de maquiagem já possuem o selo “cruelty-free” ou seja, não testam mais em animais. Como disse, já existe muita tecnologia avançada no mundo, e essa prática cruel é considerada cada vez mais inaceitável para os consumidores.

Assim como na área da beleza, as marcas de moda também se tornam cada vez mais conscientes e começam a modificar sua relação com produtos de origem animal, até mesmo as grandes marcas de luxo como Chanel e Versace já afirmaram que não usarão mais peles de animais. Também podemos perceber a grande quantidade de opções de couros ecológicos hoje em dia podem ser encontradas com facilidade em todo tipo de loja.

Além da causa animal, o veganismo é uma causa de sustentabilidade, já foi comprovado que a Indústria da Carne destrói mais florestas, seca nascentes de água, polui mais o meio ambiente do que toda a Indústria automobilística do mundo, juntas. Florestas são destruídas para fazer pastos e para a produção de grãos, os quais são em maioria destinados a alimentação dos próprios animais de abate, destino de estimado de 80% da produção de soja.  Um dado comprovado é que para a realização de um único hambúrguer são necessários 600 galões de água. (dado do documentário Cowspiracy).

Ou seja, a natureza já não suporta mais a superpopulação e o estilo de vida inconsciente. Os desastres “naturais”, as mudanças climáticas não são tão naturais assim, são a reação consequência das agressões que o ser humano faz com a Terra, e o veganismo é considerado a maneira eficaz de equilibrar esses danos.

Muitas motivações podem te impulsionar a adotar esse estilo de vida. Sim é pela justiça animal, sim é pelo meio ambiente e também sim é pela sua própria saúde. No caso da saúde existem muitos mitos e pensamentos equivocados ao redor desse tema. Acho que não existe nenhum vegano que não tenha ouvido um “mas então o que você come?” (comida), “mas não falta proteína?” (tudo é proteína, até brócolis é proteína, nunca ninguém morreu por falta de proteína).

Aliás muito pelo contrário, já existem muitos estudos médicos que apontam a dieta plant-based (de base de plantas) como a mais saudável, podendo prevenir e combater casos de doenças cardíacas, câncer e diabetes. Pouquíssimo tempo atrás centenas de médicos americanos se reuniram em frente à Casa Branca para chamar a atenção dos benefícios da dieta vegana.

Sempre digo que, se você já se alimenta de maneira saudável, vai ficar mais saudável ainda sendo vegano. E se por acaso se alimentar mal, vai continuar comendo mal veganamente. A chave é encontrar um bom profissional de saúde que possa te ajudar a construir uma alimentação que supra as suas necessidades e carências de vitaminas. Todos nós estamos sujeitos a ter algum desequilíbrio nesse sentido. E a única que de fato pode baixar com a dieta vegana, mas é facilmente suplementada é a B12.

Minha experiência pessoal é de que a imunidade só melhora, a disposição e energia aumentam muito. Não existe mais a sensação de peso no corpo, ele fica muito bem nutrido mas leve, e a alma também. Para quem gosta de espiritualidade é outro ponto positivo, a percepção, a intuição e o alinhamento energético se modificam e refinam completamente.

Também existe o mito de que é um estilo de vida para quem tem dinheiro, pois alimentos veganos são caros, o que não é verdade. Talvez algum produto industrializado do mercado possa ser, mas o conceito de veganismo é justamente tentar se alimentar da maneira mais natural possível, menos industrializado e sim comida limpa que a Terra nos dá. Todo tipo de verdura, vegetal, leguminosas, tubérculos, raízes, grãos. Sempre brinco que em um país onde a base alimentar é feijão com arroz só pode ser o lugar mais fácil do mundo para ser vegano. Leites vegetais (aveia, amêndoa, coco) são super fáceis de fazer em casa.

Ninguém pode impor uma dieta a alguém, até mesmo porque veganismo não é uma dieta e nem tem como foco principal o emagrecimento, a mudança tem que partir do coração de cada um e acredito que cada pessoa tem um momento de despertar, então se você tiver interesse nesse assunto e sentir esse chamado, indico começar dar alguns pequenos passos nessa direção, por exemplo o movimento “Segunda-Feira Sem Carne“ que incentiva a ficar pelo menos 1 dia da semana sem a carne, para conhecer novos sabores e mostrar quantas vidas podem ser salvas e como o impacto no planeta já diminui!

Depois pode tentar o vegetarianismo, cortando todas as carnes, fazendo adaptações e percebendo o quanto o paladar muda, quantas receitas você descobre sem carne. Quando estiver seguro e mais despreocupado, tente o veganismo por 21 dias. Dizem ser o tempo que um corpo necessita para esquecer velhos hábitos. E não tem nada melhor do que sentir na pele os benefícios. Não desanime caso não consiga os primeiros 21 dias, ou tenha algum tipo de “recaída”, toda a intenção por trás do veganismo é de tentar dar o seu melhor, fazer o que é possível para você naquele momento.

Sempre digo que veganismo é um caminho de vida, não acontece do dia para noite, é um exercício de evolução diária, para ficarmos cada dia mais atentos, conscientes, lermos mais rótulos, entendermos que apesar de por enquanto a nossa sociedade não conseguir ser 100% livre de crueldade (por exemplo, ainda dependemos de alguns remédios, tratamentos que são testados em animais etc), e sermos seres naturalmente destrutivos, podemos fazer diversas pequenas mudanças que causem menos impacto no mundo.

E esse estilo de vida que ainda pode ser considerado para muitos como um sacrifício, mas na verdade é a mais pura satisfação e alegria. Acho que é até por isso que vegano fala tanto do assunto. A vontade é de compartilhar essa sensação maravilhosa com os demais.

Para finalizar queria lembrar que o veganismo não é sobre ser superior a alguém, e sim sobre tentar viver de maneira mais equilibrada e deixar menos pegadas nesse planeta. Entender nosso tamanho diante do universo, que somos tão importantes quantos outros seres que coexistem com a gente nesse planeta e que não devemos nos sentir superiores ao ponto de achar que podemos destruir tudo sem consequência. Essa Terra é de todos que aqui habitam e todos deveriam ser respeitados o máximo possível.

Quem tem desejo de se aprofundar no tema indico assistir alguns documentários mega informativos que vão te esclarecer muito sobre o assunto como “Cowspiracy” (fala muito sobre a relação da Indústria da carne com o meio ambiente), “What The Health” (ligação com a Indústria da Carne a Indústria Farmacêutica), “I Am” (Indústria alimentícia e espiritualidade), disponíveis no Netflix e YouTube. Esses 3 não mostram as temidas cenas de abate, agora quem quiser sentir o impacto real do indico “Terráqueos” e “A Carne É Fraca”, cheios de informação, porém com imagens fortíssimas. Se não podemos ver, podemos consumir? O que não faz bem para os olhos faz bem para o corpo? E para a alma?! Deixo a questão no ar para sua própria reflexão.”

Também indico que sigam profissionais da saúde no Instagram, meus preferidos:

http://www.instagram.com/medicosvegetarianos

http://www.instagram.com/drericslywitch

http://www.instagram.com/lunanutri

http://www.instagram.com/aleluglio

http://www.instagram.com/marcelofacini

Receitas:

http://www.instagram.com/alana_rox

http://www.instagram.com/vegana_receitas_

http://www.instagram.com/letscookvegan

E Instagram sobre o tema:

http://www.instagram.com/animalequalitybrasil

http://www.instagram.com/_abitat_

http://www.instagram.com/malgadipaula.veg

http://www.instagram.com/move_institute

 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.