Da Série: Doceiras/Empreendedoras/Guerreiras!

Que história maravilhosa vocês vão ler hoje, como muitas que já passaram por aqui… a história de uma linda mulher, cheia de atitude, de garra, de positividade. Conheci a Claudia através da indicação de uma amiga em comum aqui de Pato Branco, a princípio iríamos conversar sobre o trabalho e os produtos dela (um pão de mel delicioso!), mas durante a nossa primeira conversa ela me contou de todos os desafios, perdas e dores na sua vida… e na hora falei para ela: Precisamos falar sobre sua história para as pessoas! E assim, hoje trago para vocês a história da Claudia!

“Me chamo Claudia Maria Belló, tenho 43 anos, sou casada e  mãe de 2 meninos.  Resido em Chopinzinho-Pr e sou graduada no curso de Farmácia, profissão que atuei durante vários anos .

Claudia, o marido e os filhos.

Tenho  o empreendedorismo  no DNA, pois sou filha de um caixeiro viajante que posteriormente se tornou dono do próprio negócio, o qual foi o responsável pela nossa manutenção e desenvolvimento. Quando adolescente chantageava meu pai, dizendo que se eu levasse pra escola as canetas, bloquinhos e papeis de carta que vendíamos na Papelaria, todas as minhas amigas iriam vir comprar.  Nos tempos de hoje eu seria considerada uma “social influencer”.

Como Farmacêutica atuei tanto na área privada como na pública mas, confesso não me sentia plena em minha vida profissional. Foi quando em meados de 2012, em conjunto com meu marido Luciano, decidimos deixar a estabilidade de nossos empregos e adquirirmos  uma franquia na área de fast food.  Nos mudamos para Jaraguá do Sul acreditando termos feito um belo negócio. Nosso encanto não durou muito tempo pois o negócio não decolou e foi então que tomamos a decisão de devolver a franquia ao franqueador, arcando com uma perda financeira de 10 anos de trabalho.

Neste mesmo período,  início de 2013, meu pai foi acometido com uma demência chamada de “Demência de Corpúsculos de Lewi”,  na prática se explica como uma doença de Alzeimer de evolução mais rápida. Fato esse que fez com que início de maio eu, marido e filhos voltássemos a morar no Paraná, para suprir uma necessidade familiar que era o atendimento em período integral ao meu pai. Meu marido logo voltou a atuar em sua área como  Engenheiro Agrônomo e eu de farmacêutica passei a cuidadora e responsável por manter os potes de quitutes sempre abastecidos, pois eram muitas as visitas. Em 28 de julho de 2013 meu pai fez sua passagem.

Participação em feira gastronômica em São Paulo.

Foi então que tive a ideia de começar a produzir cup cakes e cookies para vender, afinal eu tinha uma batedeira e duas formas para assá-los e o mais importante o apoio e incentivo da família. Assim nasceu a Da Belló Mimos e Guloseimas.  A primeira providência que tomei foi criar um Facebook, para ter um canal de divulgação, porque sempre gostei de tecnologia e publicidade. Mas aí precisava de etiquetas e embalagens, pois o produto necessitava de uma boa apresentação para que despertasse o desejo de consumo. E vieram as primeiras parcerias, a fotógrafa que tinha um programa de computador, fez a “logo” e recebeu em cupcakes logicamente. Foram necessárias algumas horas de treino para aprender a usar o saco de confeitar, montar os modelos, fotografá-los e enfim estavam lá, postados no face book. Nossa primeira semana foi um sucesso, vendemos mais de cinquenta cupcakes, direto da cozinha da minha mãe para adocicar as amigas e agora clientes.

Uma de suas criações.

As primeiras dificuldades foram vencidas e eu me sentia motivada pois estava feliz em não depender mais de minha mãe e marido para qualquer trocado. Me sentia com coragem para empreender a cada dia mais .Após uns dois meses os cupcakes já não me preenchiam. Eu queria mais!!! E vieram os brigadeiros, mas não simples brigadeiros e sim Brigadeiros Gourmet, feitos com puro chocolate Belga, igual os grandes chefes que eu seguia pela internet faziam.

A maior dificuldade na época era informar as pessoas que nosso brigadeiro era “mais caro” que o da concorrência por se tratar de um produto diferenciado. Foi quando novas parcerias se formaram, desta vez com as decoradoras da cidade. Foram dias de muito aprendizado tanto culinário quanto empresarial, pois a empresa era EU e ela tinha que acontecer.  E ela estava acontecendo! Aos poucos nossos clientes aumentavam e principalmente nos indicavam aos seus amigos! Nossa melhor estratégia de marketing era o boca a boca.

Neste período minha mãe me incentivou a fazer pão de mel. Eu nunca havia feito pão de mel na vida!  Ela queria e insistiu tanto que me rendi a sua pressão. As primeiras receitas não ficaram perfeitas mas foram sendo modificadas e hoje é uma das minhas melhores criações culinárias se não, a melhor! (em breve uma matéria somente sobre a Belló Pão de Mel!)

Era meados de 2014 e em prazo de poucos meses eu tinha ido de uma Farmacêutica frustrada e desempregada a uma Micro Empreendedora Individual  super motivada e com muita vontade de crescer. Eu continuava a fazer os cookies e cupcakes e ampliava cada vez mais a variedade de brigadeiros gourmet e era a única doceira na cidade que fazia pão de mel. Nesta época participei de várias consultorias promovidas pelo SEBRAE voltadas ao desenvolvimento dos MEIs.

A Belló Pão de Mel na feira em São Paulo.

Mas eu queria mais!!! E tinha espaço e mercado para mais, pois não havia na cidade quem trabalhasse com doces decorados em pasta americana, os ditos personalizados.  Comecei então a pesquisar via internet como fazia, e a partir daí fui comprando alguns moldes, com ajuda financeira da minha inseparável incentivadora Dona Geci, e decido que além de doces vou fazer bolos em pasta americana também. Foi preciso mais que vídeos na internet para que o produto tivesse o acabamento desejado.  Fui em busca de cursos presenciais. Me qualifiquei e aos poucos aprimorei as técnicas e o uso dos cortadores e moldes, bem como fui ampliando a aquisição dos mesmos sempre acreditando que investimento gera crescimento.

Nosso nome então passou a ser Da Belló Doces Gourmet, acompanhando a evolução dos nossos produtos e a tendência da Gourmetização que o mercado passava.Evoluímos, compramos mais mobiliário, batedeira, refrigeradores  e já não cabíamos no que antes era a sala da minha casa e havia se transformado em nossa cozinha. Era novembro  de 2015 e nós estávamos em uma sala comercial, alugada, porém mais ampla e confortável para melhor atender nossos clientes.  Nosso ano estava sendo excelente! Participamos  da nossa primeira Feira de Confeitaria em São Paulo, eu e a Geci a tiracolo,  fiz mais cursos com chefes que eu admiro, meu marido tinha conseguido um trabalho melhor os filhos estavam adaptados, tudo muito bom.

Dona Geci, sua mãe.

Mas aí como a vida não é feita apenas de sorrisos, veio a maior e inexplicável dor que já senti em minha vida. A perda da minha sempre presente e incansável apoiadora Mãe, a Dona Geci. Era 16 setembro de 2016 e estávamos com a agenda comprometida por vários finais de semana. Estava vivendo meu melhor momento empresarial. Parar não era uma opção. Segui em conjunto com minhas duas colaboradoras firmes para honrar todos os compromissos que estavam marcados.

Mais uma vez o trabalho e a veia empreendedora pulsaram mais forte que o desânimo e o cansaço ocasionados pela dor da perda. Iniciamos o ano de 2017 com foco no projeto de expandir a produção do Pão de Mel, que já tinha um nome: “Bello Pão de Mel”. Organizamos a identidade visual, as etiquetas os rótulos exigidos e estávamos prontos para montar uma estratégia de vendas e abertura de mercado, quando vieram mais surpresas pelo caminho.Era maio de 2017 e eu estava diagnosticada com Câncer de Mama, Carcinoma Ductal Invasivo!

Era preciso ter fé…  frear, respirar e organizar a casa novamente!

No seu aniversário, um dia antes da cirurgia para retirada do tumor.

Em treze de junho de 2017, um dia após meu aniversário de quarenta e dois anos, estava eu, totalmente vulnerável,  naquela sala gelada entregue as mãos de uma equipe médica para fazer a retirada do tumor. Eu tinha a certeza da minha vitória e eu  tinha o melhor de todos os companheiros que Deus podia ter me dado, o Luciano, me esperando lá fora.

Foram onze horas dentro do centro cirúrgico que passaram como se fossem onze minutos para mim. Estava feito, aquele tumor já não fazia mais parte da minha caminhada. Vinte horas depois voltávamos eu,  Luciano e a sogra, Dona Gema, indo para casa.

Orgulho: posse do filho Luigi no Interact.

E a agenda de Festas e Casamentos, o que fazer com ela…? E ela estava lotada… E o projeto do Bello Pão de Mel? Esse tinha que ser engavetado… recolhido para outro momento.

Assim foi feito, minhas colaboradoras que já eram três  com turnos de quatro a seis horas cada uma, deram conta do recado. Eu administrava as compras e os pagamentos de casa e elas cuidavam da produção. Foram quarenta dias até que eu pudesse retomar aos poucos os movimentos com os braços.

E o trabalho continuava.

Passados sessenta dias da cirurgia, iniciei as sessões de quimioterapia, sendo uma sessão a cada 21 dias. Se não fosse o desconforto da medicação queimando sua veia e gelando seu braço ao mesmo tempo, eu nem me importaria. Fiz amigos! Uma em especial, que até por sinal hoje é uma empreendedora do ramo da gastronomia em conjunto com a sua filha. A cada sessão feita era uma a menos, fiz oito no total.

Fiquei careca! Me amei careca! Foi um período de grande superação,  aceitação e aprendizagem. Um desenvolvimento pessoal incrível!

Careca, mas feliz!

Entramos em 2018 e com ele veio a crise, a recessão período de se reinventar, segurar custos e planejar  o futuro. Nestas fases uma das melhores estratégias para  manter-se no mercado são as parcerias. Entrei para o NUMEC, Núcleo da Mulher Empresária de Chopinzinho, me associei na ACEC , Associação Comercial de Chopinzinho e de lá pra cá adquiri muito conhecimento empresarial,  desenvolvi e ampliei minha rede de contatos e desengavetei,  agora apoiada pelo marido,  o projeto do Bello Pão de Mel.

A agora Da Belló Confeitaria Artesanal, já é uma Micro Empresa e se mantém adoçando as festinhas e casamentos da cidade e região, mas nós queremos mais!!! Para 2019 nosso objetivo é estarmos presentes, com o Bello Pão de Mel,  em pelo menos duas grandes redes  de conveniência de postos de auto atendimento e em dezenas de outros pontos de venda como cafeterias e restaurantes espalhados pelo sul  e sudeste do País.

Um belo desafio para duas pessoas que acreditam que o conhecimento,  as parcerias e o aprimoramento dos processos são fatores indispensáveis  para se atingir os objetivos .

 

6 respostas para “Da Série: Doceiras/Empreendedoras/Guerreiras!”

    1. Parabéns Claudia, conheço vc ,sua luta como emprendedora e como mulher que lutou contra o câncer ,a perda do pai, da mãe que sei deixam sem alicerce, as dificuldades da saúde da sua irmã , coloquei vc em minhas orações,pois a dor de Tânia sua irmã muitas vezes me comoveu, es uma guerreira, e só terá vitórias.

  1. Claudia é uma linda pessoa sempre pronta a se reinventar uma GUERREIRA QUE MERECE TODO NOSSO APLAUSO , siga em frente Amiga com toda sua capacidade de fazer Doces Deliciosos .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.