Dia das Crianças – As Crianças do Remanso da Pedreira.

Em comemoração e, em homenagem ao Dia das Crianças trazemos um pouco da história de crianças que estão tendo a oportunidade de fazer seu futuro diferente mesmo nascendo em condições desfavoráveis de estrutura familiar e financeira, tudo isso graças ao empenho de pessoas que decidiram olhar para essas crianças, à margem da sociedade, com um olhar especial de amor e de esperança. Essas crianças hoje, tem uma instituição voltada e preocupada com seu desenvolvimento e bem estar, proporcionando conhecimento, acolhimento, e entendimento do perfil de cada um. O Remanso da Pedreira atende atualmente 90 crianças. (Relembre o histórico dessa instituição no link abaixo).

http://luribeiro.com.br/remanso-da-pedreira-a-esperanca-de-um-futuro-melhor/

A diretoria do Remanso conversou com algumas de suas crianças e aqui apresentamos algumas histórias de vida desses pequenos, seus desafios diários e suas conquistas através do aprendizado e cuidados dispensados na instituição. É no jeito inocente de uma criança contar sua vida que percebemos o quanto podemos fazer por um mundo melhor, basta olhar para o lado e ajudar quem mais precisa.

Um lugar acolhedor e com muitas atividades.

“Meu nome é L. e tenho 11 anos, eu moro com a minha mãe e minha irmã. Eu gostaria muito que meu pai e minha mãe morassem juntos, mas não dá porque meu pai bebe e bate na minha mãe. Meu pai saiu de casa quando eu tinha nove anos e eu sinto muita falta dele. É muito importante eu vim todos os dias para o Remanso porque tem várias pessoas que conversam comigo e que gostam de mim. E também é muito importante porque eu não fico na rua, fico longe das drogas, das bebidas e de outras coisas ruins.”

Aulas de culinária.

“Meu nome é A. C, tenho 11 anos. Moro com a minha avó, meu tio e meus irmãos. Tenho 2 irmãos que moram comigo, dois que moram com a minha mãe e minha irmã menor mora na Casa Abrigo. Eu não conheci meu pai e minha mãe me abandonou, foi minha avó que me criou desde sempre até agora. Vejo minha mãe somente algumas vezes e meu sonho sempre foi conhecer o meu pai. Aqui no Remanso é muito legal, as “profe” ensinam bastante e é muito divertido. Tem muitas atividades e eu aprendo muito. Ficar no Remanso é mais seguro do que ficar em casa ou na rua, porque na rua é muito perigoso.”

Aulas de Bordado.

“Meu nome é M., tenho 11 anos, moro com minha mãe e meu padrasto. Eu não conheço meu pai, mas sei quem é ele, liguei para ele porque queria conhece-lo, mas isso deu confusão em casa… meu padrasto ficou com ciúmes porque tem medo que meu pai me roube deles, eu tenho uma relação muito boa com minha mãe e meu padrasto, eles me aconselham muito para não fazer nada de errado Tenho um irmão que está preso, ele vai sair da cadeia em janeiro, meu irmão já tem um filhinho. Eu sou muito feliz em poder vim aqui no Remanso porque não rua temos muitos perigos. No Remanso eu aprendi muitas coisas, eu logo vou sair daqui, vou sentir muitas saudades de tudo o que vivi aqui.”

A hora do lanche.

“Meu nome é D. e tenho 9 anos. Moro com meu pai, minha mãe e duas irmãs mais novas. Hoje eu moro no Bairro Santa Fé. Aqui no Remanso a gente fica longe de drogas, tem muitos projetos legais e eu aprendo bastante. Todo mundo é muito querido comigo e eu sou muito feliz aqui.”

“Meu nome é A. C., tenho 10 anos, moro com meu pai Gilmar, minha mãe adotiva Dione e meus irmãos Maria Vitória, o Leonardo que também vem no Remanso, o Lorenzo que só vai na escola, e o Luan que mora com a namorada dele. Tenho mais irmãos por parte da minha mãe biológica mas eu não conheço muito eles. Quando eu era pequena eu morava com meus avós porque eu não podia morar com minha mãe. Ela era usuária de drogas e o “juiz” não deixava eu morar com ela. Eu gostava muito da minha avó, ela guardava um monte de moedas para mim e sempre me dava para ir comprar doces no mercadinho, mas aí ela morreu. Fiquei muito triste! Aí eu fiquei mais de um mês na Casa Abrigo até a minha mãe Dione ir me adotar. Eu gosto muito da minha mãe eu me divertia muito quando ficava com ela, a gente brincava, ia na sorveteria… Minha mãe Dione cuida muito bem de mim e eu amo ela. Aqui no Remanso eu aprendo coisas novas e fico longe das coisas ruins, de drogas, bebidas, violência. Eu gosto muito dos meus colegas e professores.”

Se você ainda não conhece o Remanso da Pedreira acesse as redes sociais e saiba tudo o que acontece por lá. Além disso, você também pode contribuir com essa casa ajudando com doações ou trabalho voluntário. (abaixo os dados bancários da Instituição)

Facebook: https://www.facebook.com/remansopedreira/

Instagram: http://www.instagram.com/remansodapedreira

Banco Caixa 104
Agência: 0602
Conta: 3240-6
Operação: 003

 

2 respostas para “Dia das Crianças – As Crianças do Remanso da Pedreira.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.